Indicação de Livro: O verdadeiro Poder (Vicente Falconi)


Vicente Falconi é um consultor em gestão e escritor brasileiro. Falconi é consultor de grandes grupos empresariais brasileiros e orientador técnico do INDG - Instituto de Desenvolvimento Gerencial.

Neste livro, Falconi descreve a experiência vivida entre 1997 a 2009 em várias empresas e como atingiu resultados revolucionários com base da metodologia PDCA.


O Verdadeiro Poder  lançado em 2009; veja abaixo os 7 princípios apresentados no livro.

1.    Declarar um problema deve ser uma alegria 

– Segundo Falconi, a maioria das pessoas reluta em assumir que tem problemas. Mas, para melhorar continuamente, as empresas devem fazer isso mesmo quando estão satisfeitas com seus resultados. É uma maneira de perseguir algo sempre mais ambicioso. “Se uma empresa quer vender mais, terá que declarar como problema o baixo volume de vendas mesmo que o desempenho dos vendedores seja considerado ótimo”, afirma.

2.    A vontade de querer ser o melhor deve ser incentivada e valorizada 

– Uma das maneiras de inspirar as pessoas a buscar o melhor resultado é fazer com que todos estabeleçam o que ele chama de “lacuna”. É a distância entre o momento atual e um ponto ideal, estabelecido com base no desempenho de concorrentes ou numa aspiração, como ser o maior do mundo em um determinado setor. “Os principiantes tremem diante da lacuna porque pensam que isso é meta. Não é “, afirma Falconi . Segundo ele, a lacuna ajuda a estabelecer metas, além de dar uma visão de futuro para a companhia.

3.    Decisões com base em opiniões, em geral, se mostram desastrosas 

– Falconi acredita na disciplina da análise para estabelecer metas. É o primeiro passo para do método gerencial PDCA (do inglês Plan, do, check and action). “A meta fácil demais a ser atingida não leva à busca de conhecimento. A meta impossível de ser atingida leva ao desânimo. É por isso que a meta tem de ser colocada de forma técnica”, afirma.

4.    Quem tem muitas prioridades acaba por não ter nenhuma 

– Segundo Falconi, é importante definir entre três e cinco metas prioritárias para perseguir e acompanhar. “Nunca mais que isso “, afirma Falconi. Do contrário pode existir uma confusão sobre o que de fato importa, o que compromete o sucesso do segundo passo do método a execução

5.    Liderar é bater metas consistentemente 

– Falconi tem uma definição pragmática a respeito da gestão de pessoas. Para ele a principal missão de um executivo é saber estabelecer metas e cobrá-las sistematicamente até atingi-las. “Somos procrastinadores ” diz. “As pessoas gostam de ter metas porque sentem o que fazem é importante.”

6.    Crie uma cultura de enfrentamento 

– Para combater a falta de execução é preciso criar o que Falconi chama de “cultura de enfrentamento dos fatos”. É fundamental para os outros dois passos do PDCA, checagem de resultados e correção de rumo. Significa, por exemplo, apontar quem não entregou resultados. Segundo Telles: “Melhor ficar vermelho uma vez do que passar o resto da vida amarelo”.

7.    Nunca vi uma pessoa de sucesso que não ama o que faz 

– Segundo o consultor, pessoas que não gostam do que fazem tendem a “livrar-se da tarefa o mais rapidamente possível”. “Seus chefes deviam fazer um favor: dar-lhes a chance de encontrar algo que amem fazer, colocando-as à disposição de outro departamento ou, simplesmente, mandando-as embora” afirma ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário