Gestão & Vinho: Venda de vinhos brasileiros no 1º trimestre do ano segue tendência de alta


Segundo o instituto Brasileiro de vinho (IBRAVIN), O primeiro trimestre do ano terminou com acréscimo de 1,3% na comercialização de vinhos no Brasil, o melhor resultado desde 2006. Resultados foram divulgados pelo presidente do Conselho Deliberativo do Ibravin, Júlio Fante, na Expovinis 2010, em São Paulo.


Os brasileiros abriram a cabeça para o vinho nacional. Um ano depois de lançar a campanha “Abra e se abra, abra a cabeça, abra um vinho do Brasil” para reposicionar o vinho brasileiro no mercado interno, o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) comemora a conquista de mais espaço no consumo nacional. Após fechar 2009 com um crescimento de 12% na comercialização de vinhos produzidos no Rio Grande do Sul – responsável por cerca de 90% da produção nacional – o Ibravin festeja a continuidade desta tendência de alta. O primeiro trimestre do ano terminou com acréscimo de 1,3% na comercialização de vinhos no Brasil, o melhor resultado desde 2006. Segundo levantamento divulgado nesta quarta-feira (28), na Expovinis, em São Paulo, foram vendidos 42,5 milhões de litros de vinhos finos e de mesa nos primeiros três meses de 2010, ante 42 milhões de litros colocados no mesmo período do ano passado.

O incremento nas vendas de vinhos finos (de uvas vitis vinífera) foi ainda melhor no primeiro trimestre – de 17,8% – com a colocação de 2,32 milhões de litros, o maior volume desde 2007, que teve a venda de 3,13 milhões de litros. “O mercado de vinhos finos cresceu no mínimo 26,6% no Brasil, se computarmos a inclusão das vinícolas produtoras de Santa Catarina e do Vale do São Francisco”, afirmou o presidente do Conselho Deliberativo do Instituto, Júlio Fante.

Os resultados são expressivos, visto que 2009 representou uma virada positiva para o setor vitivinícola brasileiro. “Manter o ritmo de crescimento em cima de um ano positivo para o setor é uma grande vitória”, disse. Além da campanha institucional promovida pelo Ibravin e da participação em feiras e eventos, Fante atribui esta recente valorização do vinho brasileiro ao trabalho de qualificação das vinícolas e ao investimento comercial mais agressivo junto ao mercado.

Espumantes têm alta histórica

O levantamento do Ibravin ainda mostra um aumento 44% na venda de vinhos espumantes produzidos no Rio Grande do Sul no 1º trimestre do ano. É o melhor resultado da história. “Os espumantes superaram as expectativas, pois geralmente o primeiro trimestre era fraco devido a sobras do final de ano nos mercados. Desta vez, pela primeira vez nos últimos anos, os consumidores zeraram os estoques obrigando as empresas a reporem os produtos”, comentou Fante. “O acréscimo nas vendas alcançou 84% em relação à média dos últimos cinco anos”.

O presidente do Ibravin destacou que, no geral (reunindo a comercialização de vinhos, espumantes e suco de uva), a indústria vinícola gaúcha fechou o 1º trimestre com resultado 8% superior ao ano passado. No ano passado, a colocação de vinhos espumantes elaborados no RS aumentou 18,25% em 2009, na comparação com 2008.

Suco

O suco de uva integral/natural pronto para beber também teve alta de 35,68% nos três primeiros meses de 2010. O ano passado terminou com um acréscimo de 39,4% na venda de suco de uva natural (com 100% da fruta). Os números apurados pelo Ibravin têm base no Cadastro Vinícola, mantido em parceria com a Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Agronegócio (Seappa) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). As informações não abrangem o restante do País em razão de outros estados brasileiros não implantarem o Cadastro Vinícola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário